• Prêmio de boias práticas 2017
  • Banner Recadastramento do Servidor

Notícias

25/11/2015 16:00

Dia da Baiana de Acarajé ganhou novo tom em homenagem aos 16 Dias pelo Fim da Violência contra a Mulher

A comemoração do Dia da Baiana de Acarajé - 25 de novembro ganhou um novo tom este ano. A cor laranja fez parte dos festejos tradicionais, homenageando a Campanha dos 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência Contra a Mulher.

As baianas firmaram uma parceria com a Secretaria de Políticas para as Mulheres da Bahia (SPM-BA), e aderiram à campanha, comparecendo à tradicional missa na Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, com torços e trajes na cor laranja, segurando bandeirinhas com mensagens em combate ao machismo e à violência contra as mulheres.

A missa foi celebrada pelo Padre Lázaro, que falou aos presentes da necessidade de união em prol desta causa. Ele também convidou a Secretária de Políticas para as Mulheres da Bahia, Olívia Santana, para um breve pronunciamento na celebração.

A Secretária Olívia falou sobre a importância de ter as baianas sincronizadas no seu dia com a data que marca o Dia Internacional de Violência contra a Mulher, por considerar que existe uma dura realidade de violência, machismo e racismo que deve ser combatida.

Em seu discurso ela ainda ressaltou que a Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Pretos é um local ideal para o fortalecimento dessa campanha, por se tratar de um espaço democrático, em que todos os baianos e turistas do mundo são bem acolhidos: “Esse é um convite aos homens baianos para que se unam nessa luta civilizatória, para superarmos o machismo e o racismo”, explicou.

Olívia ainda destacou que tem certeza que as mulheres baianas saberão fazer valer a Lei Maria da Penha, os seus direitos e juntas construirão uma nova realidade, em que a vida prevaleça sob o mal.

Para a baiana de acarajé, Solange Maria, que esteve no evento representando a Associação Nacional das Baianas de Acarajé, a junção da comemoração destas datas é um fortalecimento para as mulheres, que sempre sofreram vários tipos de discriminação. Ela considera que a conscientização deve ser diária, pois, apesar das mulheres estarem conquistando seu próprio espaço e independência, ainda precisam se ajudar e continuar se fortalecendo.

Após a missa, o cortejo laranja tomou as ruas do Centro Histórico de Salvador, estendendo um “bandeirão” da Campanha pelos 16 Dias de Ativismo, com baianas pedindo o fim da violência contra as mulheres, e com participação da banda Chita Fina, formado exclusivamente por mulheres, tocando samba de raiz.

No Memorial da Baiana, foram realizadas atividades culturais, como apresentações musicais de diversas bandas, e oferecido um almoço de confraternização para as baianas de acarajé.

Além da Secretária Olívia Santana, estiveram presentes a Secretária de Promoção da Igualdade Racial da Bahia (Sepromi), Vera Lúcia Barbosa; a Chefa de Gabinete da SPM-BA, Karla Ramos; a Desembargadora Nágila Brito; a Deputada Estadual Luiza Maia; a Diretora do Centro de Culturas Populares e Identitárias (CCPI), instituição vinculada à Secretaria da Cultura da Bahia, Arani Santana; o Coordenador de Microfinanças Solidárias da Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre), Weslen Moreira; e Jurandir Santana, representando o Deputado Federal Davidson Magalhães.

Ascom SPM-BA
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.