• Prêmio de boias práticas 2017
  • Banner Recadastramento do Servidor

Notícias

01/06/2016 10:00

Segunda edição do projeto “Mulher com a Palavra” lota novamente o Teatro Castro Alves

A conversa contou com a participação da convidada Marcia Tiburi e mediação da jornalista Tereza Cruvinel.


O público baiano provou mais uma vez que o projeto “Mulher com a Palavra” é mesmo uma oportunidade imperdível para debater o empoderamento das mulheres baianas. A Sala Principal do Teatro Castro Alves (TCA) ficou lotada na noite de ontem (31).

A segunda edição do projeto trouxe ao palco baiano, a filósofa e escritora, Marcia Tiburi, para um bate-papo com a participação da Secretária Estadual de Políticas para as Mulheres da Bahia, Olívia Santana, e mediação de uma das mais importantes jornalistas políticas do país, Tereza Cruvinel.

Marcia Tiburi deu início a noite agradecendo ao convite para participar do importante debate, e tratando do seu livro “Como conversar com um fascista – Reflexões sobre o cotidiano autoritário brasileiro”. Ela explicou que a ideia é mostrar como algumas pessoas do nosso cotidiano agem de forma fascista, negando a descoberta do outro, e humilhando o próximo como uma forma de garantir um lugar diferenciado e melhor.

A filósofa também conversou sobre suas concepções feministas e ressaltou que esta é uma condição política a que todas as mulheres deveriam aderir, seja por gratidão a outras mulheres, que lutaram no passado por conquistas das quais desfrutamos atualmente, ou por solidariedade àquelas que sofrem de alguma forma, enfatizando o feminismo como uma importante ferramenta para garantir o lugar de poder e de fala para as mulheres.

A jornalista Tereza Cruvinel destacou durante sua mediação ao bate-papo, a forma leve com que Marcia Tiburi consegue tratar profundamente de questões filosóficas, sobretudo, garantindo a total compreensão de quem lhe ouve.

Em um dos momentos de destaque da noite, em que foi abordada a participação das mulheres na política, a Secretária Olívia Santana explicou os preconceitos que teve e tem que enfrentar por sua condição de mulher, negra e comunista. Ela ressaltou a necessidade de ter uma atitude política em sua vida, travando lutas para garantir conquistas para as mulheres negras, e ressaltou: “A diversidade tem que ser afirmada como uma riqueza da humanidade”.

Diante dos recentes casos de estupro coletivo no Brasil, Marcia também explicou o que chama de ‘lógica do estupro’ ou ‘cultura do estupro’, que é baseada em um machismo estrutural e que sempre constrói argumentos para culpar as mulheres pela violência sofrida.

Ao final da noite, foi aberto um espaço para perguntas enviadas à produção do evento, que foram atenciosamente respondidas pela convidada da noite, Marcia Tiburi, e pela Secretária Olívia Santana. O público presente também teve a oportunidade de autografar livros e registrar em fotos o encontro com a escritora.

O projeto, que ainda este ano contará com mais duas edições, é uma realização da Secretaria Estadual de Políticas para as Mulheres da Bahia (SPM-BA) e da Maré Produções Culturais, e conta com o patrocínio da Bahiagás, e apoio da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia, através do Teatro Castro Alves e da Fundação Cultural do Estado da Bahia; do Instituto de Radiodifusão Educativa da Bahia, através da TVE e da Rádio Educadora FM; do Shopping da Bahia; da “Somos Coletivo Criativo”; e da Elemídia.


Ascom SPM-BA
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.