• Orientações Covid 19
  • Bahia estado voluntário
  • Bahia estado voluntário
  • Banner Racismo

Notícias

07/05/2019 17:30

Sirlene Assis é escolhida como ouvidora-geral da DPE/BA para o biênio 2019-2021

Após sabatina, o Conselho Superior da Defensoria Pública do Estado da Bahia – DPE/BA escolheu a candidata Sirlene Assis, que foi a mais votada na formação da lista tríplice pelas entidades sociais, como a nova ouvidora-geral da Defensoria para o biênio 2019-2021.

Sirlene recebeu cinco votos, contra dois votos dados a Maura Cristina. Também participou da votação a candidata Iraildes Nascimento. Sirlene substitui a socióloga Vilma Reis, empossada no cargo em 2015, e reconduzida ao posto no biênio em 2017/2019.

“Tenho certeza que vocês continuarão lutando em prol da população baiana. E que ajudem a Defensoria a se colocar no caminho, não se desviar, sempre lembrar do motivo pela qual ela existe”, declarou o defensor público geral, Rafson Saraiva Ximenes, que conduziu a sabatina e votação feita pelos integrantes do Conselho Superior da DPE/BA nesta terça-feira, 7, na sede da Defensoria, no CAB, em Salvador.

Após ser anunciada como nova ouvidora-geral da DPE/BA, Sirlene falou sobre a responsabilidade de assumir o cargo e do seu compromisso em fortalecer, ao lado da Defensoria, a Ouvidoria Cidadã.

“Tenho que, antes de tudo, parabenizar Vilma Reis e Tânia Palma pelo excelente trabalho que fizeram na Ouvidoria, e a todos que vêm ajudando a construir esse caminho desde 2009. Quero reafirmar nosso compromisso para ajudar a fortalecer a DPE/BA, além de convidar todas candidatas a nos ajudar, para juntas construirmos uma Ouvidoria ainda mais plural, a cada dia mais criando pontes e redes”, declarou a nova ouvidora-geral da DPE/BA.

Sirlene ainda falou sobre alguns de seus principais objetivos no cargo, como lutar pela expansão da DPE/BA no estado e manter um diálogo constante com os movimentos sociais.

“A ampliação da Defensoria no interior da Bahia é fundamental para o acesso aos direitos e a dignidade humana das pessoas, que são excluídas historicamente. Além disso, quero reafirmar nosso compromisso com a sociedade e os movimentos sociais. Assim, vamos fortalecer essa grande rede de diálogo, encaminhamento, escuta e valorização de todo povo baiano”, finalizou.

Outras candidatas

A candidata Maura Cristina, segunda colocada na votação do Conselho Superior, elogiou o processo eleitoral, o qual classificou como uma “festa democrática”.

“Devemos muito aos quatro anos de gestão de Vilma Reis por estamos todas nós aqui, dentro da Defensoria, participando dessa votação. Acho que esse espaço conquistado é irreversível, não se fecha mais. Ter três candidatas que falam ao mesmo tempo do campo da luta popular é algo impossível de não festejar. Mesmo com todas as dificuldades e retiradas de direito contra o povo, nós avançamos”, declarou Maura, atualmente coordenadora desde 2007 do Movimento Sem Teto da Bahia – MSTB.

Também indicada a participar da lista tríplice, a candidata Iraildes Nascimento declarou que os movimentos sociais saíram fortalecidos após o democrático processo da eleição para a Ouvidoria.

“Foi um processo muito bonito, com três mulheres negras em uma campanha limpa, sempre com muito respeito. Quem ganha com isso são os movimentos sociais e também a Defensoria Pública da Bahia, ao ter pessoas comprometidas com as causas sociais que integraram essa eleição”.

Quem é a nova ouvidora-geral da DPE/BA

Sirlene Vanessa de Souza Assis tem 36 anos e é mestranda do Programa de Pós-Graduação em Estudos Interdisciplinares em Mulheres, Gênero e Feminismo (PPGNEIM-UFBA). Sirlene é também especialista em Gestão de Políticas Públicas de Gênero e Raça (NEIM – UFBA). Sua graduação é em Serviço Social pela Universidade Católica do Salvador. Já foi secretária executiva do CDDM-Secretária Estadual de Política para Mulheres e atualmente é presidente na Bahia da União de Negros pela Igualdade (UNEGRO).

OUVIDORIA CIDADÃ

Segunda mais antiga entre as ouvidorias externas do País, a Ouvidoria da DPE/BA completou dez anos de existência em fevereiro deste ano. Com o slogan “Ouvidoria Cidadã – Sem Ouvidoria externa não há democracia nem justiça”, tem o fundamental papel na Defensoria de ser a ponte com a sociedade civil, recebendo e encaminhando solicitações, dúvidas, sugestões, reclamações e denúncias, mas também com forte atuação externa, principalmente em suas audiências públicas.


Fonte: Defensoria Pública da Bahia

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.